quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

A ZANGA NAS CRIANÇAS…O QUE PODEMOS FAZER PARA A AJUDAR?




Todos nós, crianças ou adultos, temos sentimentos diferentes… Umas vezes sentimos alegria, outras vezes tristeza, outras vezes medo e, outras vezes, a zanga!

A zanga ou raiva na criança não é mais do que um sentimento de protesto, de insegurança, de timidez ou frustração, contra alguém ou alguma coisa, que se exterioriza quando o ego se sente-se ferido ou ameaçado. A intensidade da raiva, ou a sua ausência, difere entre as crianças.
Quando bem gerida. é uma emoção útil e saudável, pois permite à criança pôr cá para fora toda a tensão acumulada de situações mal resolvidas, mal pensadas ou mal geridas… O problema é a forma com que, na grande maioria das vezes, a criança se comporta quando experiencia esse sentir… Algumas agem descontroladamente, outras agem destrutivamente, acabando estas reacções por ter como consequência prejuízos significativos a nível das relações tanto em casa, como na escola.

As crianças aprendem a lidar com a raiva, observando os adultos à sua volta, e em muitos momentos imitam-nos, por isso é importante que nós, adultos, também saibamos como lidar com a raiva de forma apropriada.

Aqui estão algumas dicas…:

Ajude a criança a perceber que a raiva é uma emoção natural… não há problema em sentir raiva…é importante é a criança perceber que sua raiva não pode (não deve) ferir os outros que nada tem a ver com a sua raiva.
Para aqueles que tem algo a ver com a sua raiva, com a zanga da criança, ou seja, que contribuíram para que a criança a sentisse, é importante que ela perceba que pode usar as palavras em vez da agressividade…Ensine-lhe a linguagem do EU para que ela saiba aplicar na relação com os outros"Eu não gosto quando gozas comigo…quando gozas comigo eu fico triste e zangado…” ou “ não gosto quando me chamas….. faz-me sentir mal e zangado”!

Incentive o seu filho a partilhar sentimentos consigo e esteja disponível, realmente disponível nesse momento…mostre-lhe que compreende a sua raiva ou frustração... diga-lhe mesmo, olhando-o directamente os olhos e expressando compreensão"Eu vejo que estás muito zangado.".
Para que o seu filho esteja disponível para partilhar sentimentos consigo, é fundamental que ele sinta que também os patilha com ele…se está triste…chore..não há qualquer problema em faze-lo perante a criança, pelo contraio, ajuda-a a perceber que não temos de esconder o que sentimos e que é normal e natural partilhar isso com as pessoas de que gostamos.

Para mim, a dica mais importante de todas..o exemplo!... Mostre comportamentos adequados ao seu filho ao lidar com a raiva. O que os pais fazem pode ser mais importante do que aquilo que dizem!!!!!.

Ajudar a sua criança a relaxar, ensinando-lhe algumas maneiras de se acalmar quando perceber que está irritada. Pode ser por exemplo tentar fazê-la desenhar ou escrever acerca dos seus sentimentos.

Os limites e as regras estão sempre presentes em tudo o que implica um crescimento emocional saudável…Estabeleça limites claros para que o seu filho saber claramente e de forma concentra quais os comportamentos que são aceitáveis e os que não são.

Gosto muito de, desde cedo (6/7) falar à criança acerca da sua capacidade de escolha…não há escolhas certas nem erradas…há as escolhas que cada um de nos, de forma ponderada fazemos para isso é preciso pensar que, para cada atitude que possamos tomar temos sempre dias opções (pelo menos): uma implica determinadas consequências positivas e negativas e, uma segunda, implica igualmente consequências positivas e negativas. Ajude a criança a pensar desta forma e deixe que seja ela a ponderar depois de analisar os prós e os contras, qual a melhor atitude…esta estratégia vai ser útil para toda a vida, promovendo a capacidade de iniciativa e a competência para a tomada de decisões.

Fátima Poucochinho
Psicóloga Infanto Juvenil
Asas - Clinica De Apoio Terapeutico a Crianças, Jovens E Familias, Portimão