quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

A IMPORTÂNCIA DAS PROMESSAS QUE FAZEMOS A NÓS MESMOS....

Estamos a iniciar um novo ano…

Tem por hábito conversar com o seu filho em relação ao que aconteceu no ano que passou e que coisas ele gostaria que se repetissem ou que melhorassem?

Se não tem, é uma boa altura para introduzir este novo hábito na vida da família smile emoticon

Explique ao seu filho que um novo ano significa começar de novo, significa novas oportunidades…Pense com ele em relação às coisas das quais ele se orgulha e que quer manter e, das coisas que gostaria de melhorar.

Explique-lhe que é importante estabelecermos a nossa intenção para o novo ano…Explique o que é uma intenção…
A minha explicação é que é uma promessa que fazemos a nós mesmos para nos ajudar a sentirmos-nos melhor e mais felizes connosco mesmos.

A maioria das crianças vai centrar-se em coisas materiais ou em coisas centradas nos outros como “ter mais amigos”, “jogar melhor futebol”…São intenções validas mas, explore também com a criança intenções mais viradas para si mesma, para o seu interior como “confiar mais em mim”, “pensar positivo”, “acreditar que sou capaz”, entre outras…

Preencha mesmo um contrato com a criança onde ela assinala a sua intenção e se compromete a cumpri-la. Relembre que às vezes, podemos fazer exatamente o contrário do que prometemos a nós mesmos mas, não faz mal, podemos sempre começar de novo e continuar a tentar.

Ajude a criança a pensar em escolhas para alcançar a sua intenção mas NUNCA lhe dá a sua escolha…A criança precisa descobrir-se e descobrir-se implica encontrar as suas soluções, fazer as suas escolhas. Diga, por exemplo “Hummm…A tua intenção é acreditares mais em ti…O eu é que já fizeste para conseguires isso? Se a criança responder "não sei" continue a aprofundar com ela “ então vamos pensar juntos…o que podias fazer? Conheces algum menino ou menino que te pareça que acredita nele próprio? O que tem ele de diferente de ti? Deixe a criança perceber, dentro do conceito do que para ela é acreditar nela própria, o que lhe falta para conseguir alcançar isso.

Se der a sua opinião, vai condicionar a criança a ser um mini mãe/pai e não ela própria...E a criança precisa ser ela própria, precisa construir o seu EU!

Importância deste hábito? Varias coisas…
• Trabalha desde cedo a definição de objetivos e a importância de trabalharmos para os alcançar
• Trabalha a importância de cumprirmos para com as promessas que fazemos a nós próprios e assim valorizarmos também as promessas que possamos fazer aos outros
• Trabalha a capacidade de iniciativa e de auto conhecimento
• Trabalha o diálogo consciente e prazeiroso entre pais e filhos
• Trabalha a independência pessoal e o processo de individualização

São benefícios suficientes para abraçar este novo hábito, não acha? smile emoticon

Um excelente ano para todos !

Fátima Poucochinho
Psicóloga Infanto Juvenil
Clínica Asas, Portimão