segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

O MODO COMO AS CRIANÇAS SENTEM AS EMOÇÕES

Emoções…São fundamentais na nossa vida…Fazem-nos sentir, viver, usufruir mas, também nos fazem chorar, gritar, sofrer…
Se para um adulto as coisas funcionam desta maneira, imagine para uma criança que, neurologica e emocionalmente, não amadureceu ainda o suficiente e, por isso, não tem ainda ferramentas para gerir as emoções com que se vai deparando no seu dia a dia.
O que acaba por acontecer é que a criança fica descontrolada pois, não consegue gerir a intensidade com que sente as coisas e, então, “amplia” tudo o que sente, tornando tudo muito GRANDE.

Não é fácil para nós, pais, mas também não é nada fácil para a criança…

Deixo-vos com algumas estratégias que podem ajudar...

Em primeiro lugar é importante mostrarem à criança que está segura com os pais…Mostrem-lhe que mesmo quando ela se descontrola, vocês estão lá para ela, sem descontrolo.
Se a criança está descontrolada, ela espera encontrar ajuda junto dos pais…Precisa sentir os pais controlados, calmos, mesmo quando ela está completamente descontrolada…Precisa perceber que os pais “aguentam” com o seu descontrolo e a ajudam a conter-se e a reencontrar a calma.

Quando a criança está descontrolada, tal como a própria definição indica, ela perdeu o controlo do que diz e do que faz por isso, quando a criança diz “odeio-vos” ou “vocês são os pais piores do mundo” (entre outras acusações), tentem abstrair-se do que ela está a dizer e concentrem-se em reconhecer o estado emocional em que a criança está e, em garantir-lhe o apoio que ela precisa nesse momento. Quando a criança estiver mais calma, logo falam em relação ao seu comportamento…De nada adianta falarem com a criança no auge do seu stress…ela não vos vai ouvir, pois o seu cérebro está em “modo” defensivo, evitando tudo o que possa gerar mais stress e angustia.

Entendam os gritos, os pontapés na porta, o jogar tudo pelo ar como um pedido de ajuda, um pedido de ajuda para que vocês a ajudem a diminuir a intensidade do que está a sentir pois, na verdade, ela percebe que não o consegue fazer sozinha

Foquem-se no facto de que, quando uma birra descontrolada se instala, só há uma coisa que vocês conseguem controlar: o vosso próprio comportamento!
Sim, não podem entrar dentro da cabeça da criança e desligar o botão do OFF mas, podem controlar o modo como respondem a esse comportamento por parte da criança.


Fátima Poucochinho
Psicóloga Infanto Juvenil
ASAS, Portimão